Arquivo da categoria: Quadrinhos

Review: FINAL CRISIS: Legion of 3 Worlds #2 (Contém Spoilers)

Saudações, Cidadãos Imperiais!

 

Hoje é dia de continuar a única das sagas de Final Crisis que eu consegui entender: Legion of 3 Worlds!!

 

Dados:

Autor: Geoff Johns

Arte: George Perez e Scott Koblish

Letras: Nick Napolitano

Capa: George Perez

Preço: $3.99 (USD)

Data de Publicação: 15 de Outubro de 2008

 

Como todo mundo sabe, Time Trapper, um dos mais odiosos inimigos da Legião dos Super-Heróis, trouxe Superboy-Prime de volta do limbo onde ele estava, e o jogou no Século 31. Não demorou nem 5 minutos pra Psychoboy-Prime começar com a choradeira e reclamação que o tornou infame entre os fãs da DC, e o piti de proporções monumentais dele terminou por faze-lo descobrir sobre a Legião dos Super Vilões (Você tinha que abrir a zôrra da boca, né, Holograma-Jimmy?). Os legionários tiveram de interromper o funeral de R.J. Brande quando a imagem do planeta prisão de Takron-Galtos em chamas com um gigantesco S marcado a fogo na superfície do planeta apareceu nos telões, e logo, eles chamaram o nosso bom e velho Azulão…

Mas Lo3W #2 não começa ai… Começa no vóide, o vazio existencial mais conhecido por ser a atual casa da Legião Reboot, onde Shakari está vagando, em companhia de Dream Girl, e as duas entram nas visões da White Witch, que se encontra emprisionada no Planeta dos Magos, sob o domínio de Mordru (outro odiado favorito). Nas visões dela, ela tem flashes das outras dimensões e do futuro, mas antes que ela possa fazer senso do que ela estava vendo, Time Trapper interfere aparecendo pra a Legionária (eu não sei se é devido ao estado fragilizado dela, o poder do Time Trapper, ou se é por causa das baratas que perambulam pelos trapos que ele veste, mas a reação de Mysa foi de puro terror).

 

Antes que ela seja torturada mais, suas visões cessam, em tempo de ver o resgate heróico da cavalaria, comandada pelo dryad Legionário, Blok, com Wildstar e Dawnstar, que aparentemente, ainda não resolveram o affair deles (Drake está mais romântico do que o normal, e Dawn está mais fria que Margareth Tatcher). Os quatro saem correndo, e encontram Rond Vidar, o último Lanterna Verde, tendo de cnter a fúria do Feiticeiro do Mal (O fato dele se referir à Mysa como uma mera propriedade dele me enfurece, realmente). Os cinco Legionários são um páreo duro para Mordru, mas lohgo a cisa fica feia, ao que Psychoboy-Prime e seu bando de degenerados (a.k.a. Legião dos Super-Vilões) surge, numa imagem de duas páginas no mais clássico estilo da Legião…

#Um detalhe que eu esqueci de mencionar, e que eu acabo de ler… em Lo3W-1, Holograma-Jimmy fala que os três “lideres” da LoSV foram inspirados por um antigo código de sadismo e assassinato inspirado por um Ser Sombrio cujo nome nunca foi mencionado. Quando Whiningboy-Prime liberta Lignthing Lord, Saturn Queen e Cosmic King, os três se referem a ele como a fonte de inspiração deles, significando que Psychoboy-Prime é o tal Ser Sombrio…#

Claramente em desvantagem, e com Rond preocupado por que o seu anel lhe advertiu em relação à Superboy-Prime, (coisa que o anel nunca tinha feito antes) ele espera que White Witch conjure um portal, e força seus companheiros a fugir, ficando para trás. De volta à Metropolis, Lightning Lad dá amostras de sua boca suja ao que ele enfia um palavrão em cada sentença, quando ele discute com Superman sobre a “idéia” do Azulão de redimir Whiningboy-Prime. Uma vez mais nós vemos os ideais da Legião prevalecerem ao que alguns Legionários consideram a possibilidade de matar o vilão, e são criticados por Polar Boy, e reforçados por Cosmic Boy, que crota logo de uma vez Garth, encarando-o no melhor estilo “Legion Leader” (Polar Boy merece uma estrela, e eu tenho certeza que Starman concordaria comigo).

Garth, claro, não sabe quando calar a boca, e quando Irma tenta acalma-lo, ele a acusa de tomar partido de Rokk, e questionar por que ele é sempre o líder, com todo o peso da responsabilidade.. Numa resposta que demorou décadas para vir, Cosmic Boy finalmente perde sua calma, e dá um safanão no Winathian, revelando o quanto ele sacrificou para que Garth e Irma pudessem ter uma vida pessoal. Rokk dá uma vez mais provas de por que ele é o líder, até que Brainy interrompe a discussão para informar o retorno dos legionários. Todos vão ver os recém-chegados, e tem a nada boa notícia de que Rond Vidar havia ficado para trás.

De volta ao campo de batalha, O último Lanterna Verde luta de forma brava contra toda a LoSV, mas é rapidamente sobrepujado pelos esforços combinados dos vilões. Num ápice dramático, Psychoboy-Prime, fazendo juz ao seu apelido, esmaga a mão do anel. Universo, o pai desnaturado de Rond mostra uma vez mais seu desdém pelo filho ao dizer que somente o anel lhe interessa, e não fala nada ao que Superboy-Prime quebra o pescoço de Rond, deixando o corpo sem vida dele cair do alto, sob os olhares surpresos, alguns satisfeitos, e o sorriso psicótico do Supervilão Reclamão.

Como ainda existe justiça poética no universo, o Anel some antes que Universo possa tomar posse dele. Mordru tenta atacar Psychoboy-Prime, só para descobrir que ele é invulnerável à mágica, e finalmente, por pura pressão da galera do mal, O Feiticeiro se junta ao bando. De volta à terra, Brainiac 5, que esteve meio desiquilibrado por ter tido o seu título de Brainiac tomado dele pelo governo de Colu, decide dar o troco, à sua maneira, formando um plano que só ele compreende (pra variar). Num interlúdio, nós vemos o anel em sua viagem solitária de volta à OA, depois de tentar encontrar um outro usuário digno de ser o suplente do Lanterna caído, e finalmente, se desligando na mão de alguém no planeta-fortaleza da Tropa dos Lanternas Verdes.

Em Rhode Island, na antiga caverna da Liga da Justiça, um grupo de Legionários, comandados por Brainy se aventuram. As piadinhas dos legionários sobre o primitivismo dos heróis da época de Superman não foram exatamente engraçadas (e foi interessante que Phantom Girl utilizou a password que era de Aquaman para ter acesso à caverna). Finalmente, Brainiac 5, utilizando um Orb o qual eu creio ter visto antes mas não sei onde, com a ajuda da White Witch e de Phantom Girl, traz as outras duas Legiões para a dimensão deles. Brainy mais velho tenta botar ordem na casa, mas é logo confrontado por Brainy da Legião Threebot, que por sua vez, é confrontado por Brainy Reebot.

Enquanto os três Brainiacs discutem, Metropolis está em chamas (fato que Sun Boy, bêbado, comenta de forma cínica) e Psichoboy-Prime grita para o Azulão que o S agora é o símbolo dele.. Finalmente, em OA, Mon El e seu eterno amor, Shadow Lass, aterrisam com o corpo de Rond Vidar no que foi um dia o planeta dos Lanternas Verdes, e eles encontram o último dos Guardiões do Universo: Sodan Yat (Yat é um Guardião? Eu devo ter perdido o memorando).

Lo3W continua em grande estilo (mais do que eu posso dizer pelo resto de Final Crisis) e ganhar 4 Legion Rings!

 

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Quadrinhos

Comic Review – Superman: Secret Origins #1 (Contém Spoilers)

Saudações, Cidadãos Imperiais…

Hoje foi dia de pegar seus suprimentos semanais de quadrinhos, e dentre eles, eu tive o número 2 de Superman: Secret Origins. Mas como não pega bem fazer o review do número 2 antes do número 1, eu revirei meus holocrons para encontrar o primeiro número e fazer um review para vocês, Camaradas Compatriotas.

 

Dados:

SUPERMAN: SECRET ORIGIN #1 de 6

Nov ‘09 (lançado Set ‘09)

Preço: $3,99 US

Roteirista: Geoff Johns

Artista: Gary Frank

Detalhista: Jon Sibal

Cores: Brad Anderson

Letrista: Steve

Arte da Capa: Gary Frank e Brad Anderson

 

Superman Secret Origin é a nova re-adaptação da origem do mais famoso super-herói de todos os tempos: Superman. Assim como todas as outras adaptações feitas pela DC Comics pós-CRISIS (Man of Steel, Birthright), Secret Origins traz a mais recente Versão Oficial da origem do Homem de Aço, mas, diferente de versões anteriores, Secret Origins muda o foco de Metropolis para Smallville, a pacata e acochegante cidadezinha no meio da imensidão de campos dourados que é o estado do Kansas…

Geoff Johns, o gênio quadrinístico cujo nome é normalmente associado com Infinite Crisis, 52, The Flash: Rebirth , Green Lantern: Rebirth, Final Crisis: Legion of 3 Worlds, e mais recentemente, o re-lançamento de Adventure Comics e o mega evento Blackest Night é o roteirista responsável pela série. Geoffs foi responsável pela adaptação para a Série de TV Smallville da Legion of Super Heroes no episódio “Legion”, e pelos ainda-inéditos episódios “Society” e “Legends”, onde a Justice Society of America, o grupo veterano de super-heróis do Universo DC fará sua aparição no universo de Smallville.  Escrever o roteiro para dois mega-eventos no Universo DC  (Final Crisis e Blackest Night), a re-adaptação da origem do mais famoso de todos os super-heróis, rescussitar um dos mais famosos super-heróis da DC (Flash/Barry Allen), re-lançar um dos mais tradicionais títulos da Editora, além de manter-se envolvido em diversos outros projetos da DC, e ainda por cima escrever, nesse meio tempo, três episódios para uma série de TV? Será a identidade secreta de Mr. Johns o Coelhinho da Duracell?

Voltando à Secret Origins… Gary Frank, outro velho conhecido dos fãs da DC, por seu trabalho em Action Comics, Superman e Supergirl e obviamente, Superman and The Legion of Super Heroes, onde ele fez também parceria com Johns, trás de volta o mesmo estilo sóbrio, as vezes meio cartunístico (especialmente nas figuras não-adultas), mas que é predominantemente um traço limpo, e de qualidade.

Secret Origins começa com um o jovem Clark Kent engajado numa atividade típica de um jovem na vida interiorana do Kansas.. Futebol Americano. seu melhor amigo, Pete Ross (o futuro presidente Americano é mostrado loiro e de olhos azuis, como reza o canon da DC) e infelizmente para nosso herói, a brincadeira termina como 99,9% das brincadeiras de menino… com alguém machucado, neste caso, Pete, que depois de tentar barrar Clark, termina saindo de ambulância com um braço quebrado…

 

Jonathan “Pa” Kent, em sua boa e velha picape Ford vermelha vai pegar o jovem Clark, e logo uma amostra da realidade da vida adolescente do jovem Kent transparece: num dialogo de 3 quadrinhos entre pai e filho fica claro que jogar bola com os amigos não é uma atividade corriqueira do Adolescente de Aço…

Numa mostra que a continuidade da DC Comics está sempre se renovando, nós vemos na página seguinte, já passado o stress, entre meia duzia de assinarturas de garotas, a assinatura de “Chloe S…” no braço engessado de Pete, com o último nome da jovem convenientemente encoberto pela faixa no pescoço do garoto, que sussura para o melhor amigo que “este é o melhor dia da vida dele”, especialmente cheio de menininhas ao seu redor paparicando o “pobrezinho” do Pete…  Não demora mais que um momento, no corredor da escola, para que a eterna mocinha de Smallville, Lana Lang, apareça. Verdade seja dita, ver Lana desenhada como a a jovem Annette O’Toole, com suas mechas ruivas foi um alívio, ao que eu meio que esperava uma versão criança de Kristin Kreuk, mas ainda bem que Johns não alterou demais a história…

Logo de cara fica claro que Lana e Clark tem uma amizade forte, e que ela sabe do segredo o jovem Kent, ao que ainda mais um de seus poderes se manifesta (Visão de Raios-X), é Lana quem corre em suporte de um assustado e sobrecarregado Clark Kent. uma página de flashback mostra os dois, ainda crianças, brincando de esconde-esconde nos campos de trigo de Ben Hubbard, e o salvamento heróico de Clark, que evitou que a ruivinha fosse retalhada pela Ceifadeira que estava fazendo a colheita. Contudo, de volta a realidade, Lana relembra aos leitores que ela nem Clark são mais crianças, ao que ela toma uma atitude drástica para interromper o a sessão de auto-piedade do Adolescente de Aço, no agora oficial, Primeiro Beijo da vida de Clark Kent, que começou de forma romântica, e terminou de forma realmente cômica, ao que a “sensação de calor” causada pelo beijo despertou ainda outro poder (visão de calor, claro), e nosso herói terminou por incinerar a faixa na parede da escola, o que ativou o sistema de sprinklers e encharcou o jovem casal (a cara de surpresa de Lana e a cara de desconsolo de Clark vai ficar para sempre gravadas na minha me’mória, hehehe).

Uma vez mais, Clark pega carona na picape de Pa Kent, onde ele rapidamente tenta se explicar de mais um “acidente”. Ao ver a situação em que seu filho se encontra, Jonathan (já em casa, com Martha), decide que é hora de revelar o grande segredo da família Kent à Clark, e os três vão para o celeiro, onde Pa Kent revela ao jovem CLark a espaçonave que o trouxe à terra. A reação inicial de Clark foi típica de qualquer garoto: excitação. mas assim que ele tocou a fuselagem, o sistema da nave, reconhecendo-o, ativou-se,  gerando o holograma do casal Jor e Lara El, vestidos elegantemente com trajes brancos. Jor-El chama Clark por seui nome Kryptonian, Kal-El, e ao que ele começa a falar à seu filho, a excitação de Clark se converte em medo, e finalmente, em raiva, ao que ele ataca a nave, até que os hologramas de seus pais biológicos desaparecam… Em outra sequência belíssima, Jonathan corre pelos campos atrás de seu filho que está desesperado, e o abraça, assegurando-o que não importa o que, ele é e vai continuar sendo Clark Kent por toda a vida…

Dos Kents, nós vamos na página seguinte para outra família, bem diferente da de antes (O primeiro quadrinho faz uma referência ao termo “wrong side of the tracks”, que significa a parte pobre e indigna da cidade), onde vemos um pai bêbado gritando com um filho que corre em fuga, ao mesmo tempo que dentro da casa, sua irmã amedrontada implora ao pai para deixa-lo em paz… Lex Luthor, exibindo uma cabeleira invejável corre sem ver onde anda, até tropeçar em um pedaço de rocha que possui um estranho e fascinante brilho esverdeado (adivinha o que é?).

A noite dá lugar a mais um dia, e novamente, Pai e filho saem na picape… Clark está usando um par de óculos criado por sua mãe usando duas lentes que cairam da nave depois que ele esmurrou a fuselagem, e que são grandes demais para o rosto do jovem e esguio Kent… Martha (que usa óculos) diz que ele vai se acostumar, mas Clark adverte “não fique com raiva se eu perder eles, mãe, tipo, de propósito” (Pobre CK, eu já passei por isso tb). Com os homens fora de casa, Martha vai bisbilhotar no celeiro, onde ela encontra uma Sunstone (um dos cristais da nave) flutuando, e ao toca-lo, hologramas da história de Krypton começam a passar diante dela, assustando-a inicialmente (com a imagem de Doomsday) mas depois a deixando encantada, principalmente ao ver as imagens do cotidiano da civilização Kriptonian…

Na escola, o coitado do Quatrolho, perdão, quero dizer Fundo de Garrafa, perdão, quero dizer Clark (os óculos são realmente grandes) dá mais uma desculpa para não jogar Futebol Americano com seus colegas. Lana o reprova por usar desculpas tão ridículas como alergia ao pólem (Ela diz que é ridícula por que ela nunca teve de passar meses a base de Claritin, Benadryl e Aleve), ao que Clark lhe diz que nunca foi bom em mentir (nada a ver com atuar, o que ele faz de forma magistral). Os dois jovens vão para a feira, mesmo com umas nuvens ameaçadoras no horizonte…

No meio das barraquinhas, ninguém menos que Lex Luthor pergunta a Clark se ele é esperto. O Futuro Careca está vendendo sua coleção de livros, telescópios e outras coisas para as quais ele não tem uso, e engaja numa rápida discussão com o nosso herói, que o impressiona o suficiente para que Lex o considere digno de falra frente-a-frente. Tudo vai bem, até que Lex, notando o interesse de clark em um livro sobre vida em oputros planetas, saca seu mais novo souvenir: Uma pedra de Kryptonita. Mal Clark é exposto à pedra, ele passa mal, caindo por cima dos livros, e fazendo lex derrubar a rocha no chão, quebrando o container de vidro onde ele a mantinha… uma amostra do Temperamento Luthor transparece na expressão de absoluta fúria de Lex, que termina por cortar a mão com um caco de vidro…

 

Clark rapidamente se afasta, ao que começa a chover forte, e sua super-audição capta a voz de lana, ao que os ventos começam a ficvar fortes… um tornado se forma no meio da feira, e ao que pessoas desesperadas correm para salvar suyas vidas, Lana tropeça, e começa a ser puxada pelo vento… Clark se move contra a multidão, gritando pelo nome de sua amiga, em outro momento icônico, os pés do Adolescente de Aço deixam o solo, ao que ele levanta vôo com a ruivinha no seus braços, no meio do tornado… Este foi o resgate mais mal-feito de toda a carreira do Azulão, mas como ele não está vestindo uniforme ainda, não deve contar: Ele vôou, capengando, quase pousando no lugar errado, e terminando na água, de for a nada honrosa. Não que isso importasse muito para Lana, que o agradeceu com o Segundo Beijo Oficial de Clark Kent (Essa Lana não estã tãooo diferente da Lana/Kristin, afinal). Foi bom por que deu a Clark a oportunidade de testar os óculos feitos por Ma Kent, que realmente funcionaram (Prova disso é que Lana não foi incinerada).

Já em casa ( e com a roupa em frangalhos), Clark conta excitado toda a sua aventura (com o famoso “up, up and away” aparecendo pela primeira vez). a excitação dele dá lugar a um momento constrangedor ao que Clark informa sua mãe que os óculos funcionam (e dado o olhar de Ma Kent, ela sabe exatamente o que aconteceu), e ela então tem a oportunidade que toda mãe, de uma forma ou de outra, tem algumas vezes na vida, o de deixar seu filho constrangido e envergonhado. Ela mostra os rascunhos do uniforme vermelho e azul para Clark, que rapidamente renega a idéia, somente para ser chantageado emocionalmente por seu pai… A cara de Ma e Pa Kent no último quadrinho da penúltima página é um indicativo claro de que eu terei muitas risadas ao virar a página. Dito e feito, a visão de Clark Kent, adolescente, vestindo o famoso spandex celeste com capa, botas e sunga vermelhas e o S no peito, mas com a cara mais envergonhada do mundo, me vez rolar de rir… o coitado ainda diz para os pais darem uma boa olhada, por que aquele é a ultima vez que ele vestiria “aquilo” (coitado, se ele soubesse…).

E assim, Caros Compatriotas, acaba o primeiro número de Superman: Secret Origins, uma adaptação digna da história de Superman, que apresentou elementos novos ao canon, e que sinceramente, me deixou ancioso pelo próximo número… a série toda tem 6 volumes, e algumas das capas já podem ser vistas no site da DC Comics (que por sinal, é infinitamente mais organizado que o da Marvel, que me enche de raiva toda vez que eu tenho de ir lá ver as datas de publicação das duas míseras revistas que eu ainda companho deles)….

Eu dou 5 Legion Rings para essa revista:

No próximo Número: Superboy and The Legion of Super Heroes

LONG LIVE THE LEGION!!!

Deixe um comentário

Arquivado em Quadrinhos

Legion of 3 Worlds #1 (Contém Spoilers)

Saudações, Cidadãos Imperiais!
 
Hoje eu lhes apresento a única série do mega-evento de 2008, Final Crisis, que eu consegui entender:
 
FINAL CRISIS: Legion of 3 Worlds
 
Dados:
Volumes: 5
Publicado de Outubro de 2008 a Junho de 2009 (Com data de publicaçao em Setembro de 2009)
Preço Original: $3,99
Roteirista: Geoff Johns
Desenhista: George Perez
Cores: Scott Koblish
Letras: Nick Napolitano
Capa Arte: George Pezes & Dave McCaig.
 
Legion of 3 Worlds ocorre cerca de alguns meses após o último número de mais uma das séries da Legião, que em sua quinta versão, terminou no número 50. Mas o foco desta série não está na LSH v5 (também chamada Threebot), e sim, na LHS original.
 
A Trama é bem simples:
 
Time Trapper, um velho conhecido dos fãs Legionários, decide tentar mais uma vez acabar com a Legião, dessa vez utilizando o mais irritante bad boy do universo DC, o supervilão Superboy-Prime (ou como ele é chamado em certos círculos, Psychoboy-Prime). Sei, Compatriotas, Time Trapper decidiu apelar! Superboy-Prime é famoso universalmente por ser quase impossível de se matar e de ser humanamente incapaz de passar duas páginas sem ficar reclamando feito um menino mimado…. E é assim que ele aparece logo nas primeiras páginas (tudo bem que eu também reclamaria se um velho xenófobo disparasse um rifle laser contra mim), mas logo ele descobre que está em Smallville, e no Frikking Século 31 !
 

Depois de fazer o que ele faz melhor (matar, destruir, reclamar), Psychoboy-Prime encontra o Museu do Superman, onde falam de todo mundo, mas absolutamente de todo mundo, até mesmo de Chloe Sullivan, mas não falam dele!!! (brincadeirinha… como todos os conhecedores do Canon da DC Comics sabem,  a Loirinha de Smallville não existe no universo da DC). O Clark Kent da Terra-Prime dá um ataque digno das mais espevitadas barraqueiras de novela, destruindo museu, carros, cidades, etc, etc, etc… até que o holograma-guia do museu, que deveria ter sido destruído nesse ataque de fúria mas que melagrosamente sobreviveu, abre a sua boca grande digital para falar da Legion of Super-Villains… pronto… a desgraça está feita!
 
Enquanto isso, em Metropolis, a United Planets, o governo intergaláctico reinante no século 31 está mais uma vez, tentando dissolver a Legião (eles não fazem nada mais além disso) ao mesmo tempo que outros legionários tentam salvar Mon-El (ou Lar Gand, ou Valor, dependendo da sua versão) da Phantom Zone. Zod escapa no processo, por 1.3 segundos, até Lightning Lass destruir o projetor da Zona Fantasma (e ganhar um grito de Brainiac 5, que "mui gentilmente" informa a ela que bastava desligar o aparelho). Sun Boy ainda se encontra bêbado e deprimido depois de ter sido usado e torturado por EarthMan (numa outra história) e seu compadre, Polar Boy, tenta levantar o ânimo do seu camarada Legionário. De volta ao Conselho de Ingratos (Vulgo Conselho da UP), o protocolo corriqueiro de vamos-malhar-os-legionários é interrompida pela aparição surpresa de R.J. Brande, o mega-hiper-super-multi-maxi-milionário que ajudou a fundar a LSH. como todmo homem que tem os bolsos recheados, Mr. Brande consegue a atenção de todo mundo. Brande faz uma defesa dos Legionários digna de Perry Manson, até que seu ex-competidor falido, Leland McCauley o assassina, na frente de todo o consellho…
 
As últimas palavras de Mr Brande são icônicas… "Não Desista, não ouse desistir."
 
Long Live The Legion!
 
R.J Brand está morto.. seu corpo, com a morte, retorna a sua forma original, revelando a sua origem Durlaniana, o que choca a muitos. a vitória de Leland não durou muito, ao que ele envelheceu rapidamente e virou pó, diante de  Lightning Lad, Cosmic Boy e Saturn Girl… a essa altura, Psychoboy-Prime já havia libertado todos os supervilões no planeta prisão de Takron-Galtos, e os Legionários convocam Superman para o futuro… a primeira visão que ele tem é a do planeta-prisão, na tela, em chamas, com um gigantescos S gravado à fogo, e a imagem paralela do nosso super-pirralho-psicopata-mimado… Não precisa mais que meia página para Querl Dox, o supergênio Coluan conhecido como Brainiac 5 apresentar uma estratégia: convocar as outras duas Legiões de dimensões paralelas. Até ai tudo bem, mas o Azulão não podia ficar calado, e ele apresenta o plano (plano??!!) dele: Redimir Psychoboy-Prime..
 
Como dizem lá na minha terra… pau que nasce torto, morre torto, e se os pais dessa criança nào deram uma camada de pêia nele quando ele era criança, depois de velho, não adianta mais. Mas… todo mundo sabe que Superman é o eterno otimista, então, deixa ele tentar….
 
Depois continuo com mais Lo3W
 

Eu dou 4 Legion Rings para essa revista:

 
LONG LIVE THE LEGION!!!

Deixe um comentário

Arquivado em Quadrinhos

Comics, Anúncios e afins

Saudações, Cidadões do Glorioso Império Galáctico!
 
O vôo atrasou, então eu tenho mais tempo de postar mais algumas coisinhas…
 
Eu quero pedir perdão, antes de tudo, pelo atraso em FAN WARS, a sua Fanfic de Star Wars, DC Comics e alguns dos meus estimados Amigos e Conhecidos… Meu atual Laptop, depois de 10 anos, está querendo subir na montanha e virar ermitão. Até que eu termine de adaptar outro Thinkpad para utilizar no meu dia-à-dia, eu ficarei devendo essa…
 
Devo, não nego, Pagarei quando Puder.
 
Agora, vamos à outro assunto…
 
DC Universe: Final Crisis
 
FN terminou fazem quase seis meses (pelo menos o principal, pois Final Crisis Aftermath ainda tá sendo publicada) e eu ainda não entendo bulufas nenhuma!
A única coisa de FN que eu consegui entender foi Legion of 3 Worlds, e isso se deve ao fato que Lo3W não tem NADA a ver com o plot de FN… Será que algum dia Dan Didio vai ter pena de nós todos e explicar o que diabos foi aquilo tudo?
 
R.E.B.E.L.S.
 
God Bless Tony Bedard! God Bless Andy Clarke!
Vril Dox está de volta!! O Coluano mais Detestado da Galáxia está de volta!! Este foi um dos primeiros títulos que eu colecionei, em mil novecentos e bolinha… Logo após o mega evento INVASÃO!, um grupo de refugiados alienígenas se unem sob a liderança (detestada por todos) de Vril Dox II, "filho" de Vril Dox Sênior, o vilão galáctico conhecido como Brainiac… Dox e seu bando criaram, no vácuo de deixado pelo desmembramento da Green Lantern Corps, uma força policial de aluguel, chamada L.E.G.I.O.N. #Licensed Extra Governmental Interstellar Operatives Network, ou em Português, Liga Extra-Governamental Interestelar Adjuvante da Ordem#, que passou a ser a força policial de maior impacto na galáxia em sua época.
 
Muita água rolou desde então… Vril foi violentado e morto por Stealth, clonado e rescussitado por Mar’Lyn Bek, Lyrissa Mallor foi assassinada, Strata se casou, Lyrl, o filho de Dox e Stealth, roubou o comando da L.E.G.I.O.N.,  tentou dominar a galáxia e matar os pais, R.E.B.E.L.S. #Revolutionary Elite Brigade to Eradicate L.E.G.I.O.N. Supremacy# foi formado, Vril e Stealth se envolveram romanticamente, Lyrl foi derrotado, Dox deixou o comando da L.E.G.I.O.N. e voltou, e finalmente ele substituou todos os soldados em sua força policial com robôs construídos por ele.
 
Mas quando ele achava que estava tudo bem, L.E.G.I.O.N. foi uma vez mais roubada dele, e ele se encontrou na situação de fugitivo novamente. Mas desta vez, Seu usurpador é ninguém menos que Starro, O Conquistador (nunca ouviu falar dele? Leia R.E.B.E.L.S. Annual #1)…. Dox, Strata, Lyrl e outros formam uma aliança nada pacífica para combater a horda de zumbis-com-estrela-na-cara de Starro e libertar aquele setor da galáxia…
 
De longe, essa é minha série favorita da DC Comics no momento….
 
Power Girl
 
Power Girl está de volta!!! a super-heroína mais peituda do universo está de volta!! O decote generoso está de volta!! o gênio ruim aliado a beleza loira está de volta!!! Celebrai, Geeks!!
Karen Starr, a Kara Zor-L da Terra-2 está de volta… entre seu posto como líder da Justice Society e a tarefa de ser Mentora para a nova Terra, a Loira está tentando colocar sua vida pessoal em ordem… Starrware está de volta das cinzas, em New York City, e já não era sem tempo… a Dupla Palmiotti/Grey nos trás um dos mais divertidos quadrinhos da atualidade… Go get them, PeeGee!!!!

Deixe um comentário

Arquivado em Quadrinhos