Review: FINAL CRISIS: Legion of 3 Worlds #2 (Contém Spoilers)

Saudações, Cidadãos Imperiais!

 

Hoje é dia de continuar a única das sagas de Final Crisis que eu consegui entender: Legion of 3 Worlds!!

 

Dados:

Autor: Geoff Johns

Arte: George Perez e Scott Koblish

Letras: Nick Napolitano

Capa: George Perez

Preço: $3.99 (USD)

Data de Publicação: 15 de Outubro de 2008

 

Como todo mundo sabe, Time Trapper, um dos mais odiosos inimigos da Legião dos Super-Heróis, trouxe Superboy-Prime de volta do limbo onde ele estava, e o jogou no Século 31. Não demorou nem 5 minutos pra Psychoboy-Prime começar com a choradeira e reclamação que o tornou infame entre os fãs da DC, e o piti de proporções monumentais dele terminou por faze-lo descobrir sobre a Legião dos Super Vilões (Você tinha que abrir a zôrra da boca, né, Holograma-Jimmy?). Os legionários tiveram de interromper o funeral de R.J. Brande quando a imagem do planeta prisão de Takron-Galtos em chamas com um gigantesco S marcado a fogo na superfície do planeta apareceu nos telões, e logo, eles chamaram o nosso bom e velho Azulão…

Mas Lo3W #2 não começa ai… Começa no vóide, o vazio existencial mais conhecido por ser a atual casa da Legião Reboot, onde Shakari está vagando, em companhia de Dream Girl, e as duas entram nas visões da White Witch, que se encontra emprisionada no Planeta dos Magos, sob o domínio de Mordru (outro odiado favorito). Nas visões dela, ela tem flashes das outras dimensões e do futuro, mas antes que ela possa fazer senso do que ela estava vendo, Time Trapper interfere aparecendo pra a Legionária (eu não sei se é devido ao estado fragilizado dela, o poder do Time Trapper, ou se é por causa das baratas que perambulam pelos trapos que ele veste, mas a reação de Mysa foi de puro terror).

 

Antes que ela seja torturada mais, suas visões cessam, em tempo de ver o resgate heróico da cavalaria, comandada pelo dryad Legionário, Blok, com Wildstar e Dawnstar, que aparentemente, ainda não resolveram o affair deles (Drake está mais romântico do que o normal, e Dawn está mais fria que Margareth Tatcher). Os quatro saem correndo, e encontram Rond Vidar, o último Lanterna Verde, tendo de cnter a fúria do Feiticeiro do Mal (O fato dele se referir à Mysa como uma mera propriedade dele me enfurece, realmente). Os cinco Legionários são um páreo duro para Mordru, mas lohgo a cisa fica feia, ao que Psychoboy-Prime e seu bando de degenerados (a.k.a. Legião dos Super-Vilões) surge, numa imagem de duas páginas no mais clássico estilo da Legião…

#Um detalhe que eu esqueci de mencionar, e que eu acabo de ler… em Lo3W-1, Holograma-Jimmy fala que os três “lideres” da LoSV foram inspirados por um antigo código de sadismo e assassinato inspirado por um Ser Sombrio cujo nome nunca foi mencionado. Quando Whiningboy-Prime liberta Lignthing Lord, Saturn Queen e Cosmic King, os três se referem a ele como a fonte de inspiração deles, significando que Psychoboy-Prime é o tal Ser Sombrio…#

Claramente em desvantagem, e com Rond preocupado por que o seu anel lhe advertiu em relação à Superboy-Prime, (coisa que o anel nunca tinha feito antes) ele espera que White Witch conjure um portal, e força seus companheiros a fugir, ficando para trás. De volta à Metropolis, Lightning Lad dá amostras de sua boca suja ao que ele enfia um palavrão em cada sentença, quando ele discute com Superman sobre a “idéia” do Azulão de redimir Whiningboy-Prime. Uma vez mais nós vemos os ideais da Legião prevalecerem ao que alguns Legionários consideram a possibilidade de matar o vilão, e são criticados por Polar Boy, e reforçados por Cosmic Boy, que crota logo de uma vez Garth, encarando-o no melhor estilo “Legion Leader” (Polar Boy merece uma estrela, e eu tenho certeza que Starman concordaria comigo).

Garth, claro, não sabe quando calar a boca, e quando Irma tenta acalma-lo, ele a acusa de tomar partido de Rokk, e questionar por que ele é sempre o líder, com todo o peso da responsabilidade.. Numa resposta que demorou décadas para vir, Cosmic Boy finalmente perde sua calma, e dá um safanão no Winathian, revelando o quanto ele sacrificou para que Garth e Irma pudessem ter uma vida pessoal. Rokk dá uma vez mais provas de por que ele é o líder, até que Brainy interrompe a discussão para informar o retorno dos legionários. Todos vão ver os recém-chegados, e tem a nada boa notícia de que Rond Vidar havia ficado para trás.

De volta ao campo de batalha, O último Lanterna Verde luta de forma brava contra toda a LoSV, mas é rapidamente sobrepujado pelos esforços combinados dos vilões. Num ápice dramático, Psychoboy-Prime, fazendo juz ao seu apelido, esmaga a mão do anel. Universo, o pai desnaturado de Rond mostra uma vez mais seu desdém pelo filho ao dizer que somente o anel lhe interessa, e não fala nada ao que Superboy-Prime quebra o pescoço de Rond, deixando o corpo sem vida dele cair do alto, sob os olhares surpresos, alguns satisfeitos, e o sorriso psicótico do Supervilão Reclamão.

Como ainda existe justiça poética no universo, o Anel some antes que Universo possa tomar posse dele. Mordru tenta atacar Psychoboy-Prime, só para descobrir que ele é invulnerável à mágica, e finalmente, por pura pressão da galera do mal, O Feiticeiro se junta ao bando. De volta à terra, Brainiac 5, que esteve meio desiquilibrado por ter tido o seu título de Brainiac tomado dele pelo governo de Colu, decide dar o troco, à sua maneira, formando um plano que só ele compreende (pra variar). Num interlúdio, nós vemos o anel em sua viagem solitária de volta à OA, depois de tentar encontrar um outro usuário digno de ser o suplente do Lanterna caído, e finalmente, se desligando na mão de alguém no planeta-fortaleza da Tropa dos Lanternas Verdes.

Em Rhode Island, na antiga caverna da Liga da Justiça, um grupo de Legionários, comandados por Brainy se aventuram. As piadinhas dos legionários sobre o primitivismo dos heróis da época de Superman não foram exatamente engraçadas (e foi interessante que Phantom Girl utilizou a password que era de Aquaman para ter acesso à caverna). Finalmente, Brainiac 5, utilizando um Orb o qual eu creio ter visto antes mas não sei onde, com a ajuda da White Witch e de Phantom Girl, traz as outras duas Legiões para a dimensão deles. Brainy mais velho tenta botar ordem na casa, mas é logo confrontado por Brainy da Legião Threebot, que por sua vez, é confrontado por Brainy Reebot.

Enquanto os três Brainiacs discutem, Metropolis está em chamas (fato que Sun Boy, bêbado, comenta de forma cínica) e Psichoboy-Prime grita para o Azulão que o S agora é o símbolo dele.. Finalmente, em OA, Mon El e seu eterno amor, Shadow Lass, aterrisam com o corpo de Rond Vidar no que foi um dia o planeta dos Lanternas Verdes, e eles encontram o último dos Guardiões do Universo: Sodan Yat (Yat é um Guardião? Eu devo ter perdido o memorando).

Lo3W continua em grande estilo (mais do que eu posso dizer pelo resto de Final Crisis) e ganhar 4 Legion Rings!

 

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Quadrinhos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s