E-I; C-3; Ato III-d

 

Episódio I

Capítulo 3

Ato III-d

#Holopedia Galáctica Online…Search Engine Ready#

[Octogésimo dia do reinado da Imperatriz Amidala]

#NewsTicker: L.E.G.I.O.N. chega em tempo à Axxilla#

[Céus de Axxilla]

Pooja Amidala #Naboan; Política Lendária, Força-Guerreira Lendária# entrou no transporte assim que ele começou a ser levantado… O pânico dos civis diminuiu um pouco ante a presença magnânima da Rainha Naboan. Ela pousou com um joelho no chão, e então levantou-se. A capa branca e com forro interno dourado e adornado com rendas em motivos florais balançou , revelando suas vestes, que eram um meio-termo entre a armadura dos Cavaleiros Imperiais e as vestes reais tradicionais de Naboo, com o branco predominante e detalhes em dourado, adornos no busto e na cintura, e um abertura generosa no decote. Ela notou os olhares dirigidos a ela, e o a lâmina de luz branca ainda em sua mão, e a desligou, falando:

  • Não temam. Tudo vai ficar bem. – Pooja falou, projetando com a ajuda da Força, ecoando para os civis.

Ela viu uma menina, que não devia ter mais que 10 anos de idade, com os olhos cobertos de lágrimas, tendo sua mão segura por uma mulher que não devia ter mais que trinta anos de idade, e se ajoelhando a frente dela, ela perguntou:

  • Não precisa chorar, minha querida… – A Rainha falou – Tudo vai ficar bem.

A criança fungou, e limpou as lágrimas com a manga da camisa, e falou:

  • Eu sei… (chuif) – A Menina falou – Meu pai, (chuif, chuif) Ele vai botar os bandidos pra correr.

Pooja olhou para a mãe da menina, que falou:

  • Meu marido é da Guarda de Axxilla. – A mãe falou – Ele está lutando contra os invasores.

Pooja colocou uma mão no ombro da criança, e falou, no mesmo tom doce:

  • Isso mesmo. Seu pai vai botar os bandidos pra correr, e eu e meus amigos estamos aqui para ajuda-lo. – Pooja falou. – Agora, por que você não limpa essas lágrimas e me dá um sorriso?

A menina olhou para a Rainha, e limpando o rosto, ela deu um sorriso, que era aconchegante e inocente, com o vão entre os dentes (ela ainda estava perdendo os dentes de leite) dando um ar ainda mais pitoresco. Pooja acariciou o cabelo dela, bagunçando-o um pouco, como todo santo adulto fazia, e sorriu de volta, um de seus sorrisos que esquentavam até o mais frio dos corações…

  • Uau… você é tão bonita! – A menina falou.

  • Assim como você vai ser quando crescer – Amidala lhe respondeu.

A mãe, vendo que a filha estava mais calma, falou:

  • Muito obrigado, Milady. – A jovem mãe agradeceu de coração.

Pooja pensou em falar alguma coisa, quando seu holocom tocou. Ela o pegou do coldre, e o ativou. De imediato a imagem de sua tia, Padmé, surgiu:

  • Pooja, você está bem? – Padmé perguntou.

  • Sim, eu estou. O que vocês vão fazer para parar esse reboque? – Pooja perguntou.

  • Anakin, Luke e os outros estão vindo. Eles vão dar conta do reboque, e os pilotos podem então tomar controle da aeronave. – Padmé falou.

  • Muito bem, eu vou ajuda-los e… – Pooja não terminou de falar, ao que toda a nave balançou, e o ruído de uma explosão ocorreu… – O que Frikk foi isso? Tia, eu falou com você depois, eu tenho que ver o que foi isso!

Pooja não deixou sua tia terminar de falar, ao que ela desligou o holocomm, e marchou na direção da ponte de comando. No meio do caminho, mais outro barulho de explosão e a nave tremeu. Amidala se segurou na parede, e acelerou na direção da ponte de comando. Ela passou por mais dezenas de civis, e viu o caos em que estava pouco antes da entrada da ponte. Ela viu dois grupos com ânimos esquentados, e notando que dois deles estavam a ponto de brigar, a Rainha interveio:

  • Parem com isso imediatamente! – Pooja ordenou, impondo autoridade com uma ajudinha da Força.

Os brigões pararam, e ela perguntou:

  • O que está havendo aqui? Onde estão os pilotos? – Amidala perguntou.

  • A tripulação não estava a bordo ainda quando o reboque nos pegou. – Um deles falou, e apontando o dedo para os outros, ele acusou – E esses idiotas acabaram de sobrecarregar os propulsores!

  • Nós estávamos tentando nos livrar do reboque, seu burro! – O acusado falou – Se você não notou, esse maldito reboque vai nos levar pro espaço, e essa nave é sub-orbital!

  • Quem você tá chamando de burro, seu palhaço! – O primeiro falou, partindo pra cima.

Ao que o outro também se preparou pra briga, Pooja interveio, usando a Força para levantar os dois do chão, matando de vez a vontade deles de fazer confusão Os outros envolvidos abriram a roda, olhando surpresos e temerosos para a Rainha Naboan, que baixou a mão, permitindo aos dois que tocassem o chão novamente, e falou:

  • Ninguém aqui vai brigar. Nós todos vamos trabalhar juntos para nos livrar desse droid – Pooja falou, e virando-se para o que sobrecarregou os motores, ela perguntou – Os propulsores podem ser usados ainda?

  • Eu não tenho certeza. – Ele falou – Dependendo do dano, nós só poderemos usa-los para manobrar em nossa descida e fazer uma aterrissagem de emergência.

  • Isso vai ter que dar. – Pooja falou, e se virando para o segundo grupo, ela disse – Eu preciso de voluntários para chegar os sistemas de emergência e os propulsores. Se nós vamos ter de fazer um pouso de emergência, é melhor garantir que não tem mais nada errado.

Quatro homens levantaram as mãos, e ela então disse:

  • Muito bem. Eu vou lá fora informar esse droid que a carona dele acabou… – Pooja falou, ativando seu sabre de luz

Os presentes observaram ao que Amidala usou a força para abrir uma comporta de emergência no teto, que dava para fora da nave, e usando a Força, ela saltou…

Imediatamente a Naboan usou a Força para diminuir o empuxo do ar, e pisando na fuselagem, ela então olhou a redor, analisando a situação. Em seus três anos de casamento com Viktor, Pooja havia estado em situações perigosas e havia presenciado acontecimentos bizarros. Aquela não era a primeira vez que ela e seu marido viajaram para uma realidade alternativa, nem a primeira vez que ela se encontrava sozinha contra um androide gigantesco, mas era a primeira vez que ela fazia isso do lado de fora de uma nave em movimento…

Não demorou mais que alguns segundos para a Força lhe alertar do perigo (além do perigo de já estar do lado de fora de uma nave nos céus), e a Naboan saltou de forma acrobática, escapando por pouco de tentáculos mecânicos que perfuraram a fuselagem no local onde ela estava como se fosse papel.

  • Isso é jeito de tratar uma dama?! – Pooja falou, cortando ao meio outro tentáculo que tentou pegá-la. – Nada disso… nada de agarramento no primeiro encontro.

Amidala correu pela fuselagem, escapando de mais ataques, e cravou seu lightsaber num dos tentáculos maiores que estava segurando o transporte. Ela manipulou a Força para criar um escudo ao seu redor ao que os tentáculos menores tentaram lhe pegar, e tentou cortar o tentáculo maior, para o material era mais grosso do que ela esperava:

  • Frikk! Por que eles tinham que usar material de alta densidade nos tentáculos? – Pooja resmungou.

Ela ouviu um barulho de metal se retorcendo e viu dois tentáculos arrebentando um dos módulos externos, e arremessando contra ela. Antes que a Rainha Naboan pudesse reagir, porém, o módulo explodiu em pedacinhos ao que ele foi atingido pelos disparos certeiros de um caça. Amidala imediatamente se virou para a origem dos disparos e viu o TIE Avenger de seu Tio Ani e o R-Wing de seu primo Luke dando um rasante no transporte. Ela também reconheceu o TIE Defender de Darth Revan e o B-Wing de Mara Jade, e sorriu:

  • A Cavalaria chegou bem na hora… – Pooja falou para si mesma…

Ela observou ao que os quatro caças começaram a atacar o droid, e por isso não notou ao que dois tentáculos, de forma silenciosa, agarraram a fuselagem da nave na seção onde ela estava, e foi tarde demais que ela percebeu o ataque do inimigo, que arrancou as placas onde ela estava, jogando-a para o alto.. Pooja girou no ar evitando ser esmagada contra o droid, e usou um dos tentáculos que lhe atacou como trampolim. Ela saltou, esquivando de outro ataque, mas um terceiro tentáculo segurou seu pé, e a puxou, de forma violenta. Por um segundo, Pooja ficou tonta ao que ela voou por toda a parte de baixo do droid que lhe levantou acima do transporte. Ela conseguiu um segundo de orientação, e usando a Força, liberou relâmpagos contra o tentáculo que lhe prendia. O braço atacante a balançou violentamente a largou, jogando-a fora da nave, para horror dos que assistiam a luta dela…

[Alta Órbita de Axxilla]

A Bordo da Ordeal, os oficiais recebiam reportes da batalha. E a maioria deles seguia para os subalternos. Somente as ações mais importantes eram levadas ao Executor e à Almirante. Contudo, isso não queria dizer que eles não prestavam atenção. Contudo, foi o fato de ao mesmo tempo diversas vozes conhecidas gritarem o nome da Rainha Naboan que chamou a atenção de Anna Saphir #Coruscanti; Estrategista Lendária, Força-Guerreira Lendária#… de imediato ela correu para o console, e vendo a Rainha sendo jogada para fora da nave, ela gritou para o Executor, que estava focado na batalha no espaço:

  • Viktor!! – Anna o chamou.

De imediato, Darth Magnus #Viktor Straussberg; Humano-Chiss; Piloto Lendário, Força-Guerreiro Lendário# virou-se para a Ice Queen, que estava visivelmente abalada, e correu para junto dela… ele chegou a tempo de ver a imagem de sua esposa em queda livre…

  • Pooja… – Magnus sussurrou..

  • Ela… está voando?! – Anna exclamou, surpresa, ao que a imagem da Rainha mostrou que ela estava ganhando altitude novamente

[Céus de Axxilla]

Pooja Amidala estava em queda livre, mas ela não estava com medo. Depois de tudo que ela e Viktor passaram juntos, ela havia aprendido a confiar no Criador Supremo e em seu instrumento, à Força Unificadora… concentrando-se, como ela havia sido ensinada por seu amado piloto, a senadora respirou fundo, e deixou a Força fluir ao seu redor… logo ela sentiu o ar ao seu redor, como uma extensão sua, e abrindo os olhos, parou sua queda… A Naboan olhou maravilhada para si mesma, e olhando para o alto, ela viu o transporte ao longe, e falou:

  • Se prepare, Late-Velha, por que Pooja Amidala está a caminho! – A Naboan falou.

Darth Vader #Anakin Skywalker; Tatooinean; Piloto Lendário, Força-Guerreiro Lendário#, que havia saído de formação para resgatar sua sobrinha, desacelerou ao que ela parou de cair e acelerou ao que ela acelerou rumo ao alto. Ele seguiu ao lado dela e, projetando sua voz através da Força, ele falou:

  • Pooja, o que Frikk você está fazendo? – Vader reclamou – Magnus quase morreu fazendo isso, e é por milagre que ele está de pé hoje, e que o usuário dessa técnica pode ter sua vitalidade sugada pela Força! Pare de voar e se segure no meu TIE!

  • Isso foi no nosso universo, Tio Ani, esse universo é diferente! – Pooja falou, sem desacelerar – Eu não estou sentindo nenhuma exaustão, pelo contrário! É como se fosse perfeitamente natural..

Amidala acelerou contra o transporte, e Vader teve de acelerar com tudo para se manter na cola dela…

[Órbita de Axxilla]

Anna ainda estava debruçada sobre o console, observando maravilhada ao que a Rainha Naboan estava voando como apenas o Executor e o Imperador-Pai haviam feito antes, quando ela notou Darth Magnus marchando na direção da escadaria que levava ao deck inferior e à saída da ponte de comando. De imediato Saphir virou-se para ele, e o chamou:

  • Viktor! – Anna falou

  • O Comando é e seu. – Magnus respondeu, sem olhar para trás.

A Almirante correu até o Sith, se jogando na frente dele. Magnus olhou para a Coruscanti, cuja aflição era visível em sua face, e disse:

  • Não tente me parar, Saphir. – Magnus falou.

  • Eu não vou. – Saphir respondeu, para surpresa do Sith.

A Almirante o olhou nos olhos e, decidida a manter a promessa que ela havia feito a ela mesma, Anna disse:

  • Quando você quase morreu, eu prometi a mim mesma que não iria deixar você sem antes lhe dar uma coisa que eu já devia ter lhe dado a muito tempo – Ela falou.

Magnus não entendeu a princípio, mas ao que ela se aproximou dele, segurando-o pelos braços ao que ela ficou nas pontas dos pés para vencer a diferença de altura entre os dois, o Chiss, visivelmente chocado, entendeu o que ela queria… Anna Saphir, a Ice Queen da Marinha Imperial, e uma das mais reverenciadas Comandantes da frota Imperial beijou o quatrolho Chiss que à uma década era parte vital da vida dela, pessoal e militar. Desde seus dias com Araon na academia, até o seu romance secreto com Ny’Collas, o breve affair com Allan e o retorno de Araon; desde a Strike Cruiser que foi a primeira nave sob o nome Ordeal que esteve em seu comando, a batalha de Kernus, e a breve vida da Victory Star Destroyer Ordeal, até a restauração do Império e o comando do Super Star Destroyer que era a terceira nave a carregar o nome que se tornou sinônimo do Império Galáctico, Viktor esteve lá. Mesmo quando ele esteve com Fey, ele sempre esteve presente para ela.

E nunca, em nenhum momento, mesmo com o Chissi tendo nutrido por sete daqueles anos, um amor platônico por ela, Anna o havia recompensado tamanha reverência com um beijo. Ela nunca o amou do jeito que ele a amou, e ela sabia que a muito o sentimento dele havia mudado. Ele era casado e feliz com a mulher maravilhosa que era Pooja, e Saphir estava sinceramente feliz pelo casal, mas em sua consciência, a culpa dos anos os quais ela o tratou de forma cruel, usando-o como confidente e suporte mesmo sabendo da afeição que ele lhe tinha agora lhe fazia sentir um aperto no coração, especialmente depois dele quase ter morrido para salvar a filha dela, a filha deles.

Ao que os lábios dela se separaram dos dele, e a Almirante se permitiu abrir os olhos, ela encontrou o olhar firme do Chiss, com a quase imperceptível aura fantasmagórica em seus olhos azuis. Ele sabia o significado daquele beijo. Ele sabia que Saphir não pretendia complicar sua vida nem a vida dela. E mais importante ainda, ele sabia que aquele era o ato final para encerrar tudo que ainda estava mal-resolvido entre os dois, mesmo depois de tanto tempo…

  • Agora vai… Vá fazer o que você sabe fazer melhor. – Ela lhe disse, com um sorriso

Viktor Straussber, Darth Magnus, Piloto, Sith e Executor deu um breve sorriso, e marchou na direção da escadaria. Anna moveu na cola dele, e se aproximou do parapeito em tempo de ver o Sith descer o primeiro set de degraus correndo. Ele agarrou no corrimão, dando uma guinada violenta e saltando o segundo set, já descendo num sprinte olímpico no deck inferior, quase atropelando dois oficiais que foram espertos o suficiente para sair da frente ao que o Executor Imperial passou pela blast door já não mais tocando o chão…

  • Vá salvar o dia, Viktor. – Anna falou, demorando apenas um momento antes de voltar ao comando de sua nave.

Anúncios

1 comentário

Arquivado em Fan Fic Pt, Fan Fiction, FW 1.0

Uma resposta para “E-I; C-3; Ato III-d

  1. Srtª Lois - Feh

    quanta coisa pra ler. oba!! *_*

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s