E-I;C-2;Ato II-e

 

[Ato II-e]

Enquanto Giotom Windu e Josefa Tiik surpreendiam o capitão da esquadra inimiga na Náu renegada, Carol Isaard e Vynn Warlock se aproximavam do outro cruzador. Carol geralmente não tinha receio de voar, mas dado o fato que ela estava sendo carregada no colo por um certo cavaleiro Zodian que até recentemente não tinha demonstrado esta habilidade, ela se achou no direito de ficar pelo menos, desconfiada.

  • Vultures à frente. – O Cavaleiro falou.

Ela virou-se, notando a batalha que acontecia nos céus, e vendo um dos caças explodirem e sua carcaça voar contra os dois, eles agiram por instinto, ele a jogando no ar, e ela usando a Força para ganhar momento para longe. Numa fração de segundos ele atravessou o destroço, furando o metal como se fosse papel, e ela usou um Vulture como trampolim, saltando de um caça para o outro, e desde para outro ainda, usando seu sabre de luz para cortar ao meio um outro Vulture que cruzou à sua frente. Ao que outros dois caças convergiram nela, Carol saltou uma vez mais, deixando para trás o vulture que foi destruido pelo fogo de seus próprios companheiro. Isaard não ficou no ar por mais que um segindo ao que ela foi nos braços novamente pelo Cavaleiro…

  • Nós não podemos perder tempo aqui. – Isaard falou, entrelaçando suas mãos no pescoço de seu transporte.

  • Proteja seu rosto, eu vou acelerar. – Ele falou, trazendo-a para junto de si, impensando-a levemente contra seu corpo, diminuindo a área de resistência dos dois ao ar.

Carol fez o que lhe foi dito, escondendo seu rosto contra o pescoço do Cavaleiro, ao que ele expandiu momentaneamente seu campo de forca ao redor dos dois, e acelerou de forma violenta, quebrando a barreira do som diversas vezes e ganhando centenas de metros entre a dupla e seus perseguidores, que não conseguiram compensar a mudanca de velocidade o suficiente para travarem no alvo. Carol não viu nada, e não sentiu a aceleração fisicamente, mas ela pôde sentir pela Força que eles tinha movido de forma formidável. Ela pôde sentir também a vibração dos motores do cruzador ao que os dois se aproximaram….

Isaard e Warlock circularam o cruzador inimigo, que disparou à esmo, sem conseguir mirar nos dois guerreiros, e o Zodian então ativou o sistema de Cloak, tornando os dois invisíveis. Carol notou ao que eles pousaram, e olhando ao redor, notou que eles estavam na parte de fora do cruzador. Sem precisar falar nada, ela entendeu através da Força o que ele queria dela, e extendendo sua mão, ela usou a Força para abrir uma das comportas de serviço. Ao que as travas se liberaram, Ela se desvencilhou do Zodian, pronta à entrar, e falou:

  • Eu irei cuidar deles, e vou tentar sair sem ajuda. – Carol falou.

  • Você não vai sozinha. – Vynn lhe falou, aproximando-se dela, colocando as duas mãos na cintura dela, para surpresa da Tatooinean.

Warlock levou os dois para dentro antes que o sistema reserva fechasse a comporta de volta. Uma vez dentro dos estreitos túneis de serviço, o Cavaleiro voou com a Sacerdotisa para outra seção dos túneis, grande o suficiente para que eles pudessem ter algum espaço.

  • Obrigada. – Isaard sussurou, supreendendo o Zodian. E numa tom mais audível, continuou. – Você não precisava entrar comigo.

  • Nós viemos até aqui juntos, nós vamos sair daqui juntos. – O Zodian falou num tom severo, e num tom mais amistoso, acrescentou – De nada…

  • Você tem um plano? – Ela perguntou.

  • Algo improvisado. Você deve ter um plano também. – Ele disse, virando-se para abrir um dos consoles de manutenção – Importa-se de compartilhar comigo?

Carol olhou ao que o Cavaleiro começou a hackear o sistema da nave, uma vez mais surpresa pelo fato dele não ter a atitude hostil que ela esperava dele, e falou:

  • Eu pensei em criar uma sobrecarga nos reatores deles, mas isso não me daria muito tempo para escapar. – Isaard falou.

  • Se os sistemas de monitoramento e contra-medidas deles estiverem inativos, os reatores não precisam ser sobrecarregados. – Warlock falou – O simpes fato de um dos sistema de distribuição ser destruído pode criar uma reação em cadeia lenta o suficiente para nos permitir fugir.

Carol se inclinou por cima do ombro do Zodian, observando os diagramas que estavam na tela, e falou:

  • O node controlador dos sistemas reservas está do lado oposto do node distribuidor principal, e não há nenhum escapepod perto dele – Ela falou.

  • É por isso que você vai cuidar do distribuidor, e eu dos sistemas reservas. – Ele falou, virando-se para ela.

Carol deu um passo para trás, fitando o Imperial, com uma expressão confusa nem seu rosto.

  • Krayth é importante em sua vida o suficiente para você se colocar na frente de uma viga de uma tonelada por ela, e voar com alguém que você não conhece e nem confia, para extrair vingança. – Warlock lhe falou. – Eu vou fazer o possível para que você mantenha sua honra Tusken sem perder sua vida.

Olhando nos olhos dela, ele falou, em Huttese:

  • #Pelo Sangue dos Ancestrais, sua revanche será minha revanche, sua morte será minha morte.# – Warlock falou.

As palavras dele surpreenderam a tatooinean; Ela cresceu nas tribos Tusken de Tatooine, um fato que era cnhecido apenas por uns poucos em Coruscant, e o Zodian em sua companhia não apenas parecia saber disso, mas como ele também usou um Juramento Tusken com ela. Ela o viu se aproximar da entrada de um dos túneis, e antes que ele desaparecesse, ela falou:

  • Obrigada. Você pode não acreditar, mas eu lhe sou grata. – Isaard falou, impressionada – Jurar sua vida ao de um inimigo não é um feito fácil.

O Zodian virou-se, aproximando-se da Tatooinean. Ele pegou a mão dela, e retirou de seu cinto um módulo, entregando-a:

  • Nós podemos ser adversários, e termos visões diferentes para o Império, mas nós não somos inimigos, Sacerdotisa Isaard. – Ele lhe disse – Este dispositivo lhe proverá invisibilidade por trinta segundos por vez. O tempo de recarga é de cinco minutos.

Isaard olhou para o dispositivo, e falou:

  • Carol – Ela falou – Meu nome é Carol.

  • Vynn – Ele lhe falou, extendendo a mão.

A Tatooinean se permitiu um sorriso, e aceitou o gesto, apertando-lhe a mão:

  • Que a Força lhe guie, Vynn. – Ela falou.

  • Que a Força lhe guie, Carol. – Ele respondeu.

Ela observou o Cavaleiro entrar num dos túneis, considerando que ela tinha de reconsiderar seu julgamento do Zodian…

Anúncios

6 Comentários

Arquivado em FW 1.0

6 Respostas para “E-I;C-2;Ato II-e

  1. Helena

    Tem uma certa guarda-costas que não vai gostar nada dessas conversinhas de Vynn com Carol!!!

  2. Vinnie

    Ô povo pra ver maldade em tudo… Foi uma conversa inocente…

  3. Helena

    conversa inocente………. sei!!!

  4. Srtª Lois - Feh

    Olha Helena, defendendo o patrimônio da família! ahahahhahahahahahah

  5. Srtª Lois - Feh

    Mas tanta gente de ideologias contrárias junta não pode dar muito certo!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s