E-I; C-1; Ato VI-d

 

[Ato VI-d]

[Amanhecer – Coruscant – Hospital Palacial]

(Srta. Lois x Warlock)

Giotom Windu havia deixado a Lois Naberrie e Vynn Warr-Lok faziam alguns minutos, e faziam alguns segundos que a Naboan ainda estava sendo abraçada pelo dito Zodian, uma situação da qual ela não se importava se continuasse a se estender, mas que ela sabia que iria acabar, ao que o cavaleiro tinha de se apresentar para o seu novo posto, depois de ter sido rebaixado. Tomando coragem, em retomar a linha de pensamento que ela havia tido antes da chegada de Giotom, ela afastou sua cabeça do corpo do Zodian, fitando os olhos castanhos do jovem cavaleiro. Se ela estava um pouco nervosa, ela tinha certeza que o Zodian estava dez vezes mais nervoso…

  • L-Lois? – Vynn falou, com uma voz extremamente atípica.

Uma vez mais, ela levou um dedo aos lábios dele, silenciando-o. Lois Naberrie ergueu-se alguns centímetros, o suficiente para nivelar sua cabeça com a do nervoso cavaleiro, que sentindo as intenções da Naboan, entrou em pânico, desvencilhando-se. Ele ergueu-se da cama, e muito nervoso, levou uma mão à cabeça, passando os dedos que estavam suando frio pelo cabelo:

  • Lo-Lois… nós não podemos fazer isso… – Warlock falou.

  • Por que não? – Ela perguntou, confusa, e levemente ofendida

  • Bem, é por que… – Ele tentou se explicar ainda nervoso

  • É por que…? – Ela insistiu 

  • Por que nós não podemos! – ele falou, nervoso.

Foi naquele momento que Naberrie se lembrou de um pequeno detalhe, que desde a noite passada, havia lhe escapado à memória; seu cavaleiro em armadura rubra tinha um amor platônico por sua companheira de trabalho, Brianna Whiteridge. A guarda-costas tentou falar algo, mas ele foi mais rápido que ela, e falou:

  • Tem algo que você precisa saber…. – O cavaleiro falou, com um tom grave…

Lois olhou com curiosidade para o cavaleiro que, com a atitude de um homem que havia cometido o mais terrível dos crimes, fez sua confissão.

  • Ontem… eu beijei sua prima. – O Zodian falou, nervoso…

Naberrie estava esperando por uma desculpa, de como o coração dele pertencia à Whiteridge ou algo do tipo, mas a menção do beijo infame do qual ela já sabia, por meio da culpada pelo tal beijo, sua prima Helena Amidala, a pegou de surpresa… o Zodian havia saído do quarto com Green Arrow e Giotom, na hora em que ele tinha ido participar da troca de guarda do palácio, depois que os dois cavaleiros a haviam trazido para o hospital para ser mantida sob observação pela noite. Lois quis matar sua prima por fazê-la rir enquanto ela ainda estava sentindo dor… mas a verdade é que uma vez mais, a Naboan havia achado a atitude inexperiente do jovem Zodian doce, e o fato de sua prima dar uma nota positiva ao beijo a havia deixado ainda mais curiosa, e interessada…

Warlock deixou de lado seu nervosismo, ao que ele notou uma expressão estranha tomar conta da face da guarda-costas Naboan… ela tentou, falhando miseravelmente em esconder um riso. Ela chegou a virar o rosto e esconder a boca com a mão, mas de nada adiantou… logo o quarto foi inundado pelo suave som dos risos dela… O cavaleiro sentia que ele devia se sentir revoltado por ela estar rindo dele, mas a verdade era que o riso de Naberrie era sinfonia para seus ouvidos, e ele não se importava de passar ridículo se isso significasse ouvir mais daquele riso, e ver aquele belo sorriso..

  • Perdão, Vynn… eu não queria rir de você… – Naberrie falou.

Ele sentou-se novamente ao lado dela, e tomando a mão dela na sua, ele falou:

  • Eu não me importo, se isso significa ver e ouvir esse riso. – Warlock

  • Vynn, eu não me importo se você foi beijado por minha prima ou não… – Lois falou, aproximando-se dele uma vez mais – Agora, se você não me acha atraente, eu posso mudar…

Ela usou a Força e acionou, como ela fazia todos os dias, o seu projetor holográfico, que mudava seus cabelos, e alterava de forma discreta seus traços faciais, fazendo-a praticamente uma cópia da Imperatriz Kent. A verdade era que, para ela, que praticamente vivia de se passar por uma outra pessoa em tempo integral, estar alí, desprovida dos artifícios e subterfúgios os quais eram suas ferramentas diárias, lhe dava uma sensação de fragilidade com a qual ela não estava acostumada a lidar, especialmente em face de uma situação como aquela, e por mais absurdo que pudesse parecer para outros, a ideia de que ele não a achasse atraente por si só era perfeitamente racional para Naberrie.

Mas qualquer dúvida que ela tivesse quanto a sua atratividade dirimiu ao que o Zodian, usando a Força, desativou o aparelho… os cabelos castanhos se tornaram negros uma vez mais, e os fios lisos ganharam de volta seus discretos cachos naturais… os olhos castanhos da Imperatriz deram lugar a vibrantes olhos verde-esmeralda da Naboan, e os ângulos da face dela se tornaram mais suaves; uma visão encantadora em si, segundo a opinião do Jovem Cavaleiro.

  • Sem querer desmerecer a Imperatriz, mas Milady é mais bonita… – Ele falou.

Ela não chegou a responder, ao que o Zodian, tomado de um impulso quase-suicida, decidiu numa fração de segundos jogar para o alto e a calou com um beijo. A Naboan arregalou os olhos em grata surpresa, fechando-os lentamente em seguida, com uma expressão visivelmente satisfeita pelo cavaleiro ter tomado coragem. Obviamente, ela podia perceber, mesmo sem a Força, o nervosismo dele, mas o que o Zodian não tinha em experiência, ele compensava com sensibilidade. Ele moveu o corpo dele, de forma a não perturbar o braço fraturado dela, deixando-a confortável mesmo ao custo de seu próprio conforto.

Naberrie sentiu satisfeita as mãos lhe dando apoio, e era claro como o dia para ela que ele havia sido instruído por alguém na arte do romance, alguém competente, e que tinha tinha consideração pelos membros do sexo feminino, pois ela sabia bem, quantos homens agiam como verdadeiros trogloditas quando deveriam ter a delicadeza de um artista… ela fez uma nota mental de agradecer à quem quer que tivesse ensinado-o.

A Naboan passou o seu braço bom pelo pescoço dele, enquanto ele apoiou com uma das mãos as costas dela, enquanto a outra apoiava sua nuca….Se havia uma coisa que as casquinhas matinais que ela e Lane Iblis tiravam do Imperador tinha lhe dado era um PhD na arte de beijar, e ela estava disposta a utilizar toda a sua competência para garantir que o jovem cavaleiro fosse as nuvens sem precisar voar… ela o puxou mais para cima, ignorando o esforço dele em mantê-la confortável.

Foi com grata satisfação que ela ouviu um gemido de prazer vindo do jovem Zodian, e a verdade é que em trazê-lo para cima dela, ela terminou ganhando um bônus a mais para ajudada-la em seu objetivo; os robes do hospital eram bem mais finos e sensíveis que sua vestimenta casual, e ela não precisava nem ser Sensitiva na Força para saber que ele havia sentido os seios dela por baixo da malha, pressionando contra o tórax dele, que sem a armadura, era bem mais acessível.

Os dois continuaram envoltos um no outro, ignorando completamente o mundo exterior por vários minutos, e mesmo sem partir para uma troca de carícias mais íntimas, tanto ele quanto ela aproveitaram o máximo daqueles momentos… Naberrie descobriu que o simples ato de sentir os dedos dele acariciando sua nuca durante o beijo a deixava mais excitada do que ela podia imaginar, mesmo entre beijos bem comportados, ao que ele, mesmo com a permissão implícita dela, que deixou os lábios entre-abertos em vários momentos, não tomou vantagem do convite, e dela…

O atrativo do jovem Zodian, segundo a análise de expert dela, não era pelo vigor e masculinidade pela qual Zodians eram famosos, mas sim, como Helena tinha dito, pela sensibilidade e cuidado que ele tinha. Finalmente, o barulho do alarme vindo do uniforme dele fez com que os dois terminassem com a sessão de beijos… Ele se colocou sentado novamente na cama, e ela fez o mesmo, se recostando na cabeceira…

  • Eu coloquei o alarme para me dar tempo de sair pro trabalho sem me atrasar – Ele explicou, com uma voz levemente encabulada.

  • Você tem que ir, eu sei… – Ela falou

  • Sim, eu tenho de ir, infelizmente. – O jovem Zodian falou.

Naberrie lhe sorriu, e ele sorriu de volta para ela. Os dois permaneceram mais um momento daquele jeito, e ela finalmente falou:

  • É melhor você ir, antes que você se atrase. – Naberrie falou

  • Sim, eu sei… – Warlock respondeu.

  • Eles devem me liberar no final da tarde, de qualquer maneira. – Ela disse.

  • Eu sei disso. Eu vou estar aqui. – Ele falou, e logo, se corrigiu, envergonhado – Se você não se importar, é claro.

  • Pelo contrário… isso me faria muito feliz. – Ela respondeu com um sorriso envergonhado, ela mesma não conseguindo evitar ficar um pouco corada.

Ela assistiu ao que ele pegou sua armadura do chão, e metodicamente, ele começou a colocar peça por peça… Ela nunca havia parado para observar com cuidado antes, mas o processo de vestir aquelas placas rubras era um ritual… ela podia notar, a cada parte colocada, que a aura do Cavaleiro mudava, sua expressão se tornava mais séria, mais compenetrada. Agora, naquele momento, ela notou que Vynn estava usando alguns acessórios que não eram parte do uniforme tradicional, notadamente, um cinturão, com coldres que se mesclava perfeitamente à armadura, mas que não faziam parte dela.

  • Vynn, por que você está usando este cinto? – Ela lhe perguntou.

  • Oh, este cinto? – Ele falou, olhando para o acessório – Bem.. este cinto foi algo que eu construí…

  • Construiu? – Ela insistiu, algora levemente desconfiada…

Ele sentou-se ao lado dela na cama, e deixando-a ver mais de perto o acessório, ele falou:

  • Bem, este cinto é que o que me permitiu, entre outras coisas, voar ontem, nos camuflar quando nós fomos pegos pela rede, e manter você segura enquanto eu me livrava daquele Khundio… – O Zodian revelou.

  • Este cinto? – Ela perguntou, mais desconfiada ainda.

Ele acionou um controle oculto no cinto, e do nada, uma estranha aura se tornou visível nele…. a aura se desfês e ele falou:

  • Desde que eu voltei do Consórcio, algo tem acontecido comigo… – O Zodian revelou – As coisas parecem bem mais clara e bem mais fáceis para mim…

  • Como assim? – Naberrie insistiu

  • Você vê.. eu não conseguia parar de pensar… as coisas ao meu redor pareciam ganhar novas nuances… eu ainda não sei o que aconteceu comigo, mas nos últimos dias, eu praticamente li toda a Holopedia da Cavalaria, entre outras coisas. – Ele falou

  • O que?! – A Naboan falou, chocada – Nós estamos falando de bilhões de Terabites… como você conseguiu?

  • Eu usei a Força… – Warlock revelou, e notando o olhar chocado da Naboan, ele explicou – De alguma forma, eu consegui me conectar com o computador, e absorvi toda a informação que eles tinham… foi assim que eu consegui construir um gerador de Campo de Força, um sistema de Cloack e um projetor de anti-gravidade, e colocar tudo dentro deste cinto…

Lois olhou para o Cavaleiro, maravilhada, e falou:

  • Você já fez um teste de QI? – Ela perguntou

  • Anos atrás, eu fiz, mas não muito acima da média… – Ele falou

  • Faça um novo teste, Vynn, por que, pelo que você me falou, você pode muito bem ter virado um gênio… – Ela disse..

Ele a olhou incrédulo por um momento, mas ele saba, que no fundo, ela tinha razão… Ele nunca seria capaz, antes de Nar Shaddaa, de inventar aquele dispositivo, ou até mesmo de formular o plano que permitiu salvar à guarda-costas Naboan. Ele lacenou a cabeça positivamente, levantou-se ca cama e colocou sua capa. Ela ainda ao chamou de volta, para que ela pudesse lhe dar um beijo de despedida.

Lois Naberrie assistiu ao que o cavaleiro deixou o quarto, ainda digerindo tudo que ele tinha lhe dito… ela virou-se para a janela, de onde ela o viu levantar vôo rumo ao alto, e sem ter muito mais o que fazer, ela ligou o monitor. A imagem da Liga da Justiça, já em plena atividade veio à tela, e só então a Naboan se lembrou que, em meio a toda aquela confusão, ontem havia sido o último dia dela como guarda-costas da Imperatriz…. Ela então sacou uma vez mais seu dispositivo holográfico, buscando na biblioteca de imagens, a camuflagem para sua nova missão, sua prima Helena.

Fim do Ato VI

Anúncios

4 Comentários

Arquivado em FW 1.0

4 Respostas para “E-I; C-1; Ato VI-d

  1. Helena

    "beijo infame" kkkkkkkkkkkkkkkkkO Zodian gostou de beijar, heim?!! :)Mas ele voa por conta do cinto?Pensei que era por causa dos poderes dele!

  2. Srtª Lois - Feh

    nossa, o "detalhe" que ela lembrou!!muito legal essa parte!"beijo infame" kkkkkkkkkkkkkkkkkO Zodian gostou de beijar, heim?!! 🙂 [2]

  3. Vinnie

    Vynn nunca falou que ele tinha o poder de voar… ele dia que ele podia voar… como ele não especificou…

  4. Isaaque

    Ai ai ai… fikei com inveja agora kkkkkk

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s